AVALIAR OS RESULTADOS

 

1- Resultados dos utentes

 

OBJECTIVOS COGNITIVOS

Vou traduzir o Dr. Daniel Figuerola:

O rigor do profissional de saúde tem de ser o mesmo quando prescreve um fármaco e quando indica as normas de comportamento adequado *

Não passa pela cabeça de nenhum médico prescrever um medicamento para baixar a glicemia, o colesterol ou a TA sem depois pedir análises ou medir a tensão do doente.

Do mesmo modo, quando queremos que o utente compreenda um tema e seja capaz de o aplicar, é preciso avaliar se estamos a atingir o objectivo.

A memorização e a compreensão podem ser avaliadas com perguntas directas ou questionários. Mas a aplicação dos conceitos, mesmo se foram memorizados e compreendidos, não é um dado adquirido. É possível avaliá-la perguntando ao "aluno" como vai reagir a uma situação concreta.

Por exemplo, perante uma pessoa que tem tratado incorrectamente as hipoglicemias, depois de rever o tratamento correcto, perguntar:
"Se voltar a ter esses sintomas, o que é que vai fazer?"
É preciso ser capaz de a ouvir explicar de que maneira vai fazer o tratamento a partir de agora.

Avaliar os objectivos de análise (descobrir qual é a causa de uma situação) pode ser importante, dependendo de quem é o "aluno".
Eu estou treinada para raciocinar e actuar usando este tipo de ferramenta.
Mas isso não significa que eu o faça sempre: por exemplo, não quero saber como este computador em que estou a escrever funciona, basta-me que funcione!
Muito menos significa que toda a gente o faça.

Os objectivos de síntese referem-se à capacidade de, a partir de dados conhecidos, uma pessoa ser capaz de descobrir coisas novas: as situações novas surgem no dia a dia do doente crónico.
Mas atenção aos "alunos" demasiado afoitos que tomam decisões com dados insuficientes!

 

Na prática, os objectivos cognitivos mais importantes são os de aplicação

 

* Figuerola D. Hablemos de la Comunicación con los Pacientes. ACV ediciones, Barcelona 1997

   O que se avalia:

1. Resultados dos utentes

2. Resultados do programa

 

1. Resultados dos utentes

 OBJECTIVOS

  • COGNITIVOS
  • AFECTIVOS
  • PSICOMOTORES

OBJECTIVOS COGNITIVOS

  • Memorização
  • Compreensão
  • Aplicação
  • Análise
  • Síntese

OBJECTIVOS AFECTIVOS

O diagnóstico de uma doença que vai durar toda a vida vai naturalmente despertar emoções e sentimentos com que temos de contar. No decurso da doença, o aparecimento de complicações, mas também os problemas familiares, profissionais, etc., vão de novo gerar emoções a que temos de estar atentos.

Eu não sou psicóloga nem tenho formação nessa área. No entanto é-me possível fazer uma avaliação mínima, prestando atenção à linguagem corporal da pessoa - posição na cadeira, maneira de olhar, gestos - , ao à-vontade (ou à falta dele) para pôr questões, à atenção com que me escuta ou à forma como executa as tarefas propostas.

Trata-se então de sistematizar um pouco - e registar - a avaliação que todos fazemos de forma quase instintiva.

 OBJECTIVOS AFECTIVOS

  • Atenção
  • Exposição de ideias
  • Expressão de sentimentos
  • Linguagem não verbal
  • ...

OBJECTIVOS PSICOMOTORES

Como posso ter a certeza que, chegado o momento, esta pessoa vai pôr em prática o que aprendeu?

Bom, a certeza só a vou ter a posteriori. Mas na maioria dos casos posso assegurar-me antes que ela é capaz de o fazer, vendo-a executar a tarefa proposta à minha frente.

 

O exemplo clássico é a auto-injecção de insulina. Mas a realização da glicemia capilar e seu registo, alguns cuidados com os pés, e outras tarefas relativamente simples, podem ser avaliados da mesma maneira.

Tarefas mais complexas como, por exemplo, reconhecer situações de risco, escolher calçado adequado ou tratar uma hipoglicemia grave de um familiar, ganham em ser avaliadas em grupo - com os acompanhantes habituais ou em grupo de utentes.

O recurso à teatralização da situação é uma forma possível de avaliar o comportamento em situações emocionalmente complicadas. Um exemplo é a administração de glucagão a um familiar em coma.

 

OBJECTIVOS PSICOMOTORES

  • Comportamento perante a situação
Avaliar os Resultados 2 - Resultados do Programa


Educação Terapêutica do Diabético | O Guia do Diabético | "Ai, insulina não, Sr(a). Doutor(a)!" | Terapêutica e Educação | Educação de Grupo | Bibliografia | Links | Currículo | Mapa do Site | LIvro de Presenças | Geocities

email: luisacortesao@mac.com

Hosting by WebRing.