Swoon

Habitantes do mundo árido de Swoofon (segundo planeta do Sistema de Swaft, a 1.000 anos luz da Terra) os Swoons são seres de seis membros com 30 cm de altura. Desde que análise genética revelou menos mudanças genéticas entre os Swoon e Fantanitas que entre o Fantanitas e os Deuses-besta de Passá, parece muito improvável que seu tamanho reduzido seja devido a engenharia genética. Uma explicação mais provável é que os antepassados dos Swoons tenham sido expostos aos mesmos efeitos que encolheram os colonos humanos de Siga. Não resta nenhuma informação de qualquer migração dos Swoons para Swoofon. Se isto ocorreu, deve ter sido bem antes dos arcônidas descobrirem o seu planeta 14.000 anos atrás. Embora estes nem mesmo tenham notado as minúsculas criaturas durante quase 500 anos (os Swoons construíram suas cidades no subterrâneo para conservar melhor a água) os Swoons os notaram, e imitaram os edifícios que eles deixaram ao partir para monitorar Swoofon. Quando os arcônidas perceberam finalmente que os Swoons eram inteligentes, eles descobriram o talento dos Swoons para rapidamente projetar e construir dispositivos em escala microscópica. Por quase 3.000 anos a Inteligência do Império isolou o sistema de Swaft do resto da galáxia e usou quase toda a população dos Swoons para construir dispositivos para eles. Eles foram especialmente úteis ao arcônidas durante a Grande Guerra de Metano (contra os Maahks). Depois desta guerra, a existência de Swoon se tornou lentamente conhecida, e o Império diminuiu seu controle sobre este mundo. Embora os Swoons pudessem ter feito fortuna por si, o relaxamento do controle dos arcônidas significou que o saltadores se tornaram os vendedores primários de mercadorias feitas em Swoofon. Com o sistema de "parceria" usualmente empregado pelos Saltadores, os Swoons tiveram sorte de manter o seu planeta sem dívidas. Na realidade, várias vezes eles tiveram que recorrer à Frota de Árcon (com quem ainda mantinham amplos e permanentes contratos) para evitar ser reduzidos a pouco mais que um mundo de escravos dos Saltadores. O custo para os Swoons era alto (arcônidas odeiam ter que defender não Arcônidas contra arcônidas - neste caso, seus descendentes, os saltadores - mas eles reconheciam a necessidade) mas eles permaneceram livres. Depois do surgimento da Aliança Solar e a emigração secreta de mais de vinte mil Swoons para o Marte, os Swoons puderam quebrar lentamente a influência dos saltadores. Os Swoons guardaram capital suficiente para investir em dispositivos de controle de clima e estabilizar o ambiente de Swaft, além de desenvolver novos mercados lucrativos. Eles começaram a investir em instalações de pesquisa, onde eles tem liberdade de desenvolver novas áreas de tecnologia de miniaturização. Embora a maior parte da galáxia acreditasse que houvesse uma competição econômica feroz entre os Swoons e os Ferrônios, isto não é verdade. Embora haja algum mercado sobreposto, o mercado dos Swoons é principalmente o Império de Árcon, enquanto o mercado dos Ferrônios é principalmente a Aliança Solar. Poucos produtos são tão caros a ponto de justificar o transporte por 20.000 ano luz, e até mesmo aqui as duas raças têm especializações que raramente se sobrepõem. Mais tarde, os siganeses entraram no campo da micro-tecnologia, desbancando estes dois povos.

Uma característica muito interessante de Swoofon é de ser quase estéril de vida vegetal, contudo possui um ambiente de oxigênio respirável. Considerando que isto é altamente improvável, até mesmo em uma escala cósmica, os cientistas arcônidas de antigamente estudaram o mundo, e ficaram convencidos de que deveria ter havido algum tipo de máquina para manter a atmosfera. Eles nunca acharam qualquer equipamento, mas descobriram que certas terras no planeta que pareciam poder absorver gases e luz solar, e manter o equilíbrio atmosférico. Os arcônidas consideraram isto uma anormalidade química curiosa e os aras, convencidos que isso não era de natureza biológica, também ignoraram isto. Porém, os Swoons dependem muito desta "curiosidade" para sua existência. Eles estudaram isto por séculos, e mantiveram os resultados um segredo até sua emigração para Marte. Uma vez em Marte, eles distribuíram toneladas desta terra sobre sua nova cidade, reivindicando aspectos religiosos (o que era parcialmente verdade). Eles não revelaram por décadas sua descoberta, de que estas terras especiais eram, aparentemente, vivas, ainda por cima capazes de se reproduzir, apesar de totalmente inorgânica em natureza. Eles não têm nenhuma idéia se esta forma de vida é natural ou artificial, mas eles aplicaram alguns resultados obtidos da pesquisa deste material em sua tecnologia, lhes permitindo criar efeitos que nem a tecnologia terrana ou ferrônia alguma vez pôde duplicar. A maior parte dos cientistas terranos continuou considerando esta terra como uma curiosidade.

Hosting by WebRing.