Início  Como Colaborar  

 

 

 Evolução

Buscar
   

powered by FreeFind

 

Observatório dosTestemunhas de Jeová
Banner confeccionado pela Sociedade da Terra Redonda

   

Abril de 2001


Início
SI Digest
Livros
Colabore
Evolução
Links
 

Citações Distorcidas pelos Criacionistas

 

Como veremos por todo este site, todo o "argumento" dos criacionistas é construído sobre a desonestidade intelectual. Embora algumas das asneiras criacionistas possam ser aceitas com benevolência como erros honestos, incompreensões ou equívocos ocasionados por sua quase completa falta de compreensão científica, muitos de tais exemplos não podem ser vistos como outra coisa senão tentativas deliberadas, calculadas de enganar seus leitores. 

As táticas mais comuns vistas dos criacionistas é o uso de "citações" de "evolucionistas" que, segundo eles, "provam" que a teoria evolucionária tem problemas insustentáveis. Na realidade, os criacionistas até mesmo possuem seu próprio Livro Vermelho de Citações, o Revised Quote Book (Creation Science Foundation, Austrália, 1990), que lista páginas e mais páginas de "citações". 

Examinar essas citações mais detalhadamente, todavia, mostra que em toda situação, os escritores dos fragmentos citados não estão dizendo no todo o que os criacionistas gostariam de nos fazer acreditar que eles dizendo. 

Diversos exemplos de citações distorcidas pelos criacionistas vêm do livreto anti-evolução Life: How Did It Get Here? das Testemunhas de Jeová (Watchtower Tract and Bible Society (WTBS), 1985). O livreto diz do biólogo evolucionista Richard Dawkins, referindo-se ao seu livro O Gene Egoísta (The Selfish Gene), "Neste ponto um leitor pode começar a compreender o comentário de Dawkins no prefácio de seu livro: 'Este livro deveria ser lido quase como se fosse ficção científica'". (WTBS, 1985, p. 39).  A implicação aqui é que Dawkins está "admitindo" que suas teorias evolucionárias são incertas e deveriam ser tratadas como "ficção". No contexto, entretanto, podemos ver que Dawkins não está dizendo nada disso: "Este livro deveria ser lido quase como se fosse ficção científica. Ele destina-se a agradar a imaginação. Mas não é ficção científica: é Ciência. Seja ou não um lugar-comum, 'mais estranho do que ficção' exprime exatamente como me sinto com relação a verdade". (Dawkins, O Gene Egoísta, p.17. Ed. Itatiaia/EDUSP).

Em outra página, o livreto Life dos Testemunhas de Jeová cita o biólogo Richard Lewontin como dizendo: "O zoólogo Richard Lewontin disse que os organismos 'parecem ter sido cuidadosamente e engenhosamente projetados'. Ele os vê como 'a evidência principal de um Projetista Supremo'."(WTBS, p. 143). A implicação aqui é que o próprio Lewontin acredita que a vida foi projetada de maneira inteligente por um "Projetista Supremo". Na verdade, Lewontin não acredita em nada disso. Como ele explicou em uma carta para uma publicação criacionista desmascarando a citação distorcida, "A parte essencial de meu artigo, 'Adaptation' na Scientific American, do qual estes trechos foram tirados, era precisamente que a 'perfeição dos organismos' é freqüentemente ilusória e que qualquer tentativa de descrever organismos como perfeitamente adaptados está fadada por sérias contradições. Além disso, a aparência de projeto cuidadoso e engenhoso era aceita no século dezenove antes de Darwin como 'a evidência principal de um Projetista Supremo.' O pretérito de meu artigo ('Era o maravilhoso encaixe dos organismos ao ambiente ... que era a evidência principal do Projetista Supremo') tem sido convenientemente omitido pelo criacionista Parker em sua tentativa de passar esta doutrina antiga como ciência moderna." (Lewontin, "Misquoted Scientists Respond," Creation/Evolution VI, Fall 1981, p. 35) A edição seletiva de Parker, repetida mais tarde pelos Testemunhas em seu livreto, somente pode ser vista como uma tentativa deliberada de distorcer a intenção de Lewontin e fazê-lo falar o que os criacionistas gostariam de ouvi-lo dizer. 

Outro proeminente biólogo que foi vítima das desonestidades e citações distorcidas por parte dos criacionistas é o Dr. Colin Patterson do Museu Britânico de História Natural. Numa carta particular ao criacionista Luther Sunderland, que tinha perguntado a Patterson porque nenhum fóssil transicional foi ilustrado em seu livro, Patterson respondeu: "Eu concordo inteiramente com seus comentários sobre a falta de ilustração direta de transições evolutivas em meu livro. Se eu conhecesse alguma, fóssil ou viva, eu certamente teria incluído ... deixarei nas entrelinhas, não há nenhum fóssil assim para o qual se possa fazer um argumento inequívoco." (Creation Science Foundation, Revised Quote Book, 1990).  Desde então, os criacionistas tanto nos EUA como na Austrália têm distribuído amplamente esta citação, afirmando que Patterson está "admitindo que não há nenhum fóssil transicional".

Isto é um absurdo à primeira vista, uma vez que o livro de Patterson contêm diversas descrições de diferentes fósseis transicionais: "Em diversos grupos de animais e de vegetais são conhecidos fósseis suficientes para preencher as amplas lacunas entres os tipos existentes. Nos mamíferos, por exemplo, a lacuna entre cavalos, burros e zebras (gênero Equus) e seus parentes vivos mais próximos, os rinocerontes e as antas, é preenchida por uma grande série de fósseis que se estende no passado até 60 milhões de anos atrás até um pequeno animal, o Hyracotherium, que somente pode ser distinguido do grupo rinoceronte-anta por um ou dois detalhes do crânio semelhante ao cavalo. Há muitos outros exemplos de 'ligações perdidas' de fósseis, como o Archaeopteryx, a ave jurássica que conecta as aves com os dinossauros, e Ichthyostega, o antigo anfíbio devoniano que conecta os vertebrados terrestres com os extintos peixes coanados (que têm narinas internas)." (Patterson, 1978, p. 130)

Entretanto, quando um pesquisador escrever a Patterson para perguntar sobre a muita repetida citação, Patterson respondeu com ainda outro exemplo de edição seletiva criacionista: "A citação específica que você menciona, de uma carta a Sunderland datada de 10 de abril de 1979, é acurada conforme se segue. A passagem citada continua ' ... um argumento inequívoco. A razão é que afirmações sobre ancestralidade e descendência não são aplicáveis no registro fóssil. O Archaeopteryx é o ancestral de todas as aves? Talvez sim, talvez não: não há como responder a pergunta'." (Lionel Theunissen, "Patterson Misquoted: A Tale of Two 'Cites', 1997) Desse modo, tornou-se aparente a partir de todo o contexto que Patterson estava se referindo a impossibilidade de estabelecer linhas diretas de descentes a partir dos fósseis, uma posição completamente de acordo com seu ponto de vista. Patterson não estava dizendo que não havia nenhum fóssil transicional, e a tentativa de Sunderland de alegar o contrário somente pode ser vista como um esforço em enganar. 

Um último exemplo de distorção e citação errada por parte dos Testemunhas de Jeová. Life cita o escritor Francis Hitching como dizendo "Por toda sua aceitação no mundo científico como o grande princípio unificador da biologia, o Darwinismo, após um século e um quarto, está surpreendentemente em um grande apuro." (WTBS, p. 15) A implicação aqui é que a teoria evolucionária está sendo rejeitada pelos biólogos. Entretanto, os Testemunhas negligenciam à citação exatamente a próxima frase no livro de Hitching, que diz: "Evolução e Darwinismo são freqüentemente aceitos como se fossem a mesma coisa. Mas não são. A evolução da vida através de um longo período de tempo é um fato, se confiarmos nas evidências acumuladas durante os dois últimos séculos pela geologia, paleontologia, biologia molecular e muitas outras disciplinas científicas. Embora os muitos crentes na criação Divina não concordem com isto ..., a probabilidade que a evolução tenha ocorrido aproxima-se da certeza em termos científicos." (Hitching, p. 4) A alegação dos Testemunhas de que Hitching concluiu que a evolução está "em apuros" é simplesmente inverídica. O próprio Hitching, em uma passagem que foi convenientemente editada pelos os autores de Life, explicitamente afirma que a evolução é "um fato" e "aproxima-se da certeza em termos científicos". O que está sendo questionado, escreveu Hitching, é a prevalência do mecanismo darwiniano na evolução, não a validade da evolução em si.

A fascinação criacionista em emitir longas linhas de citações antiquadas e fora do contexto está diretamente atada com sua visão bíblica literalística. Uma vez que em suas discussões intermináveis entre si sobre doutrinas religiosas e interpretações bíblicas, seu método usual de argumentação é citar versos da Bíblia entre si, eles aparentemente pensam que é um argumento científico válido citar isso ou aquela pessoa como dizendo isso ou aquilo, e portanto de algum modo desta maneira invalidar os dados e a evidência a favor da evolução da vida. A totalidade da estratégia é a do "argumento de autoridade" ---- "X deve ser verdade porque o Sr. Y disse que é verdade". Embora este método pode (ou não pode) fazer sentido dentro do contexto dos argumentos fundamentalistas sobre uma interpretação particular desse ou daquele verso bíblico, ele é autoritário, não tem nenhum uso na ciência, que depende somente dos dados e evidências, e não da palavra [ou autoridade] desse ou daquele cientista proeminente. Desse modo os cientistas, inteiramente à parte de todas as distorções e imprecisões, rejeitam todas as "citações" dos criacionistas como irrelevantes, sem dúvida deixando os fundamentalistas completamente frustrados com o porquê ninguém parece se impressionar com todas suas citações de autoridades. 

 


Publicado em: 28/04/01
Tradução: Gilson C. Santos
Texto original em: http://www.geocities.com/CapeCanaveral/Hangar/2437/misquote.htm


Leitura Recomendada

 

Alto da Página

 

 

 

 

 

 

Darwin Fish
Copyright © 2000-2001 Darwin Magazine
Primeira versão criada em março de 1997
 por Gilson Cirino dos Santos.
Curitiba, Paraná - Brasil.

Página Inicial | Evolução | SI Digest | Livros | Links | Sugestões

Hosting by WebRing.