Início  Como Colaborar  

 

 

 Arquivo

Buscar
   

powered by FreeFind

 

Dicionário Céptico  
Banner confeccionado pela Sociedade da Terra Redonda

   

Julho de 2001


Início
SI Digest
Livros
Colabore
Evolução
Links
Sugira um Artigo
 
Arquivo

Os artigos aqui presente estiveram anteriormente selecionados na página principal, se você ainda não os leu vale a pena ler. Caso algum link não esteja funcionado, peço que me avise


AGÊNCIA ESTADO, 24-04-2001
EDITOR DA "NATURE" DEFENDE ACESSO À INFORMAÇÃO CIENTÍFICA 
Roberta Jansen
 
Rio de Janeiro -- O editor da revista científica "Nature", David Dickson, defendeu na última segunda-feira a importância da divulgação de informação científica como importante arma para os países em desenvolvimento conquistarem espaço nas discussões tecnológicas internacionais. Ele citou como exemplo as recentes reduções dos preços dos medicamentos contra a aids na África do Sul e no Brasil. "Foi o acesso à informação que fez com que as companhias fossem pressionadas", afirmou. Dickson esteve na segunda-feira na Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), fazendo uma palestra sobre o tema "Como a internet pode  ajudar a revolucionar a compreensão da população sobre a ciência". [e]

|Leia mais|A: Jul/01


Observatório da Imprensa, 20-10-2000
Grave Risco de Contágio (Roberto Mitsuo Takata)
Não tem jeito. Sempre que aparece o papo de "modernização" no tratamento de assuntos tecnológicos e científicos pode apostar que vem coisa. E não exatamente a prometida. A SuperInteressante -- veículo jornalístico especializado em Ciência e Tecnologia da Editora Abril -- já está no terceiro número após sua mais nova reforma gráfica e editorial. Que digo? "Presta um desserviço", "Atenta contra a saúde de seu público", "Age irresponsavelmente", "Ignora o bom senso"? Servem os quatro e todas as variantes. [e]

|leia mais| A:Mai/01


Observatório da Imprensa, 20-12-2000
Décimo Planeta E Alienação da Mídia (Ulisses Capozoli)
Ciência não é luxo. É uma necessidade. O mundo atual está construído pela ciência e suas criações estão no cotidiano de cada um dos 6 bilhões de moradores do planeta de uma forma mais ou menos evidente. Participar de um processo de alfabetização científica, por parte da mídia, é uma prestação de serviço. Tão necessário (em termos utilitários) como publicar os serviços abertos e fechados nos feriados das cidades grandes: programação de cinemas, teatros, shows e outros espetáculos. (Ofjor Ciência) [e]

|leia mais| P:Jan/01 A:Mai/01


O Livro da Vida Humana
Passaram-se 88 anos entre a descoberta das leis da hereditariedade, em 1865 -- as Leis de Mendel --, e a da estrutura do DNA, a molécula que transmite a herança de uma geração a outra, em 1953. Desde então, mais se aprendeu sobre a intimidade genética dos seres vivos, em cada década, do que em toda a história precedente. É paradoxal que esses saltos notáveis coexistam com a presente demonização da ciência e da técnica, acusadas, de um lado, de serem cúmplices das injustiças sociais e econômicas do mundo, como se fosse sua a palavra final capaz de eliminá-las, e, de outro, de serem as causadoras da degradação ambiental, como se só delas dependesse a decisão de poluir (ou despoluir) a Terra. Além disso, o homem comum tende a desconfiar da ciência quanto mais misteriosos lhe parecem os seus meios e mais ousados os seus fins, e quanto mais ela interfere na ordem natural das coisas, a começar da própria vida - como é o caso da biologia molecular e da engenharia genética.[e]

|leia maisP:28/06/00  A:01/10/00


O Príncipe e o Terrorista (Luiz Weis)
Provocou previsível interesse a recente serie de conferências produzidas pela BBC-TV sobre desenvolvimento sustentável (...) O ultimo a falar, como convidado de honra, foi o príncipe Charles. Sua Alteza leu um texto típico da desconfiança que cerca hoje em dia a razão e a racionalidade, bases do trabalho cientifico e da criação tecnológica. Misturou trigo e joio quase da primeira à ultima linha.


|
leia mais|
A:01/11/00

Carta aberta de Richard Dawkins ao Príncipe Charles


Aquém do Pensamento Crítico (José Colucci Jr.)
A propagação de sandices à guisa de ciência não é exclusividade da mídia brasileira. Entretanto, enquanto nos países adiantados da Europa, nos EUA e no Canadá a população mais bem educada em assuntos científicos, a melhor divulgação da ciência pelos órgãos de imprensa e -- especialmente no caso dos EUA e do Canadá -- a ação combativa da comunidade acadêmica contribuem para conter a onda de irracionalidade, no Brasil ela avança sem resistência. Um exemplo recente é a matéria de capa -- "Muito alem do jardim" -- da revista IstoÉ (21/05/00). Alguém que escreva numa seção chamada "Ciência e Tecnologia" tem a obrigação de familiarizar-se minimamente com os conceitos básicos do método cientifico, coisa que, aparentemente, o jornalista da IstoÉ  não se incomodou em fazer. [e]

|leia mais| A:01/11/00


A Origem da Divindade Iavé e a Pequena História da Religião de Israel
"O deus dos israelitas é o resultado do sincretismo religioso do deus dos relâmpagos, Iahu, dos madianita e quenitas, conhecido também pelos arameus do norte da Síria, com a divindade das terríveis tempestades de deserto, o deus Ya’uq, temido pelos árabes, ao qual os hebreus entraram em contato nos séculos XII e XI a. C."

|leia mais| A:01/11/00


A água e a ciência descendo pelo ralo
Isso é o que se chama de "bad science", ou "ciência ruim": a apresentação errônea de fenômenos científicos já muito bem conhecidos. Alguns tipos de ciência ruim acabam se enraizando no senso comum e até aparecem em livros didáticos, salas de aula, obras de ficção, filmes. [e]

|leia mais|A:01/01/01


O Que Nos Faz Unicamente Humanos?
Silvia Helena Cardoso, PhD & Renato M.E. Sabbatini, PhD
Desde que o naturalista inglês Charles Darwin propôs, em 1860, sua famosa teoria da seleção natural, não temos mais dúvidas de que a espécie humana moderna, o Homo sapiens sapiens, evoluiu a partir de outras espécies, em um contínuo que remete a um primata que foi, algum dia no passado distante, o "elo perdido" entre os primatas antropóides ("parecidos com o homem"), e o primeiro dos hominídeos ("gênero dos homens"). Ao longo do século XX, inúmeras descobertas paleoantropológicas demonstraram a existência de um grande número de espécies de hominídeos, como o Australopithecus, todas elas surgidas na África, em um período que cobre os últimos 5,5 milhões de anos.[e]

|leia mais|A:01/01/01



CiênciaList -Veja aqui como participar
 

Alto da Página

 

 

 

 

 

Darwin Fish
Copyright © 2000-2001 Darwin Magazine
Primeira versão criada em março de 1997
 por Gilson Cirino dos Santos.
Curitiba, Paraná - Brasil.

Página Inicial | Evolução | SI Digest | Livros | Links | Sugestões

Hosting by WebRing.